A saga do transporte público

A mobilidade urbana sempre é tema político  recorrente da necessidade de locomoção do cidadão que sente na pele a sensação de desprezo pelos órgãos competentes.
Apesar de alguns avanços como o metrô e a recente inaugurada Linha Azul, que visa conectar a orla atlântica, o centro e a região do subúrbio ferroviário na Baía de Todos os Santos, com o  objetivo de dar maior fluidez ao trânsito da capital baiana, Salvador, ligando ao metrô, no intuito de  melhorar  a qualidade de vida da população, a Avenida Pinto de Aguiar à Avenida Gal Costa, sentido Estação Pirajá — Lobato.

Contudo, essa aparente demonstração  de fluidez, tem causado transtorno para aqueles trabalhadores que tinham como rotina seu destino a Baixa do Fiscal, Calçada, São Joaquim e Comércio. Alguns vereadores já se posicionaram contra a medida no sentido de cobrança para buscar reverter a decisão da agência reguladora estadual do governo (AGERBA) e da empresa de transporte a Expresso Metropolitano, responsáveis pela linha Mapele – Ilha de São João via suburbana.

A exemplo de Manoel Carteiro que citou que a AGERBA de modo  irresponsável, autorizou a mudança do roteiro  sem comunicar as comunidades  ou desconsiderando as necessidades diretas dessas e dependentes do roteiro, prejudicando bruscamente moradores de Simões Filho da Região Metropolitana de Salvador (RMS), em especial das Comunidades: Mapele, Santa Luzia, Cotegipe, Aratu,  Ilha de São João, que atualmente, por conta dessa aflição, encontram-se ilhados.

Logo após, o vereador Sandro Moreira destacou  não somente a importância da citação dos nomes de empresas responsáveis supracitadas, mas, vários outros fatores de negligência, imprudência e imperícia relacionados a empresa. Além de solicitar apoio político daqueles que garimparam  e tiveram votos na cidade e que possivelmente tem o poder de persuasão na AGERBA, para que providências sejam tomadas contribuindo para o benefício do povo, usuários  do transporte público, de Simões Filho.

Já o vereador Laércio Valentim, cobrou citando diretamente o apoio do senador Otto Alencar, do ex prefeito e deputado estadual Eduardo Alencar e da primeira dama, deputada estadual Kátia Oliveira.

Enquanto a saga do transporte público não é solucionada, os moradores dessas comunidades relacionadas sofrem continuamente o retrocesso em mobilidade urbana.

Por: Neila Santos/Colunista do Tabuleiro Baiano.

Curta e Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

RSS
Follow by Email
Facebook
Twitter